Último Sangue, de Kelly Hatanaka


Categoria: Novela - suspense/terror/horror

Número de páginas: 64

Disponível em: Kindle Unlimited




Minha leitura da novela de Kelly Hatakana foi dinâmica, divertida e envolvente, com o tempero especial do suspense e do macabro.


“Último Sangue” é uma história completa, no sentido de que caminha em toda a sua extensão, até completar um ciclo, o qual já começa no título. Não, não se preocupe, o título não é um spoiler. Mas, certamente, irá te causar a seguinte reação: “Ah! Entendi tudo!”


A história lembra o formato do livro “It, a Coisa”, do mestre Stephen King. Sua estrutura se desenrola em narrativas do passado e do presente. Eu gostei muito do trabalho da autora nesse sentido. Ela não poupou em história e chamou todas as personagens mais importantes para a trama, explorando ao máximo cada uma delas.


Falando em personagens, vamos a eles:


Cibele é a protagonista da história e sua narrativa se desenvolve no presente. Ela claramente tem problemas emocionais e psicológicos, que são explorados no decorrer da trama.


Cibele quase sempre aparece acompanhada de seus amigos: Humberto e Agenor. Esses dois funcionam como os nossos olhos. São eles que se intrigam com as estranhezas que acontecem (envolvem Cibele nas mesmas) e buscam investigar. Não são o foco da narrativa, mas isso é compreensível, uma vez que a autora estabelece que Cibele como centro dos acontecimentos.


No presente, há ainda Nando, que mesmo não tendo voz ativa na história, nem presença constante, atormenta Cibele. Nando é um ex parceiro golpista.


Os mistérios da trama acontecem dentro de uma casa, a qual Cibele ganhou como herança. A partir daí, a história se conecta com o passado, e com cinco importantes figuras: Antero, Nicanor, Juca, Tonho e Heloísa.


Para imergir na experiência de “Último Sangue” é de suma importância dar atenção a esses quatro. O passado deles está conectado ao presente de Cibele.


Falar mais do que se passa na trama seria dar spoiler. Pelo formato da obra, não há muito espaço para respirar. Alguns leitores gostam de histórias mais “slow burn”, isto é, de queima lenta. Não é o caso aqui.


Kelly Hatanaka nos conduz em seu próprio ritmo, mas esteja certo disso: ela não desaponta. Há uma recompensa para todo o turbilhão de emoções e paranoias com as quais ela nos presenteia.


Por fim, a temática da vingança é o ingrediente poderoso que costura toda a trama e a faz viva. Sob todos os esquemas sobrenaturais, há uma história de amor, rejeição e ódio. Os ressentimentos persistem com o tempo e só fazem cavar mais fundo ainda, as feridas. Inclusive, as imagens usadas por Hatanaka ao retratar o destino de alguns personagens são muito simbólicas.


Se você está em busca de uma leitura divertida, rápida e de personagens bem resolvidos, não procure mais! Vá agora mesmo conhecer “Último Sangue”.


Conheça a autora


Kelly Hatanaka nasceu em Guarulhos e mora em São Paulo com marido e filhos. Kelly é autora de fantasia, ficção científica e terror, e gosta de ambientar suas histórias nos bairros de São Paulo. O último Sangue é sua noveleta mais recente publicada na Amazon.

@khatanaka

Prestigie a entrevista concedida pela escritora acompanhado de um conto de sua autoria clicando aqui

Resenha por Deborah Silva

Edição e revisão por Elisa Fonseca

Edição de imagens por Filipo Brazilliano



20 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo