Racismo na Literatura Nacional

Atualizado: 20 de Nov de 2020

James Patterson, famoso autor norte-americano, é o criador da série de livros Alex Cross, um talentoso detetive-psicólogo negro que sempre pega os bandidos. Tamanha foi a minha surpresa ao ver um autor branco e americano escrevendo livros onde um negro é o protagonista. E não um negro pobre ou drogado, mas um negro talentoso, com uma família bem estruturada e reconhecimento na sua profissão.

Ler a série Alex Cross me fez refletir sobre a figura do negro na literatura nacional. Até ali eu nunca havia lido um livro onde o negro é um herói. Em todos os livros que li os negros são pobres, escravos ou ladrões.

Quem nunca leu uma obra de Monteiro Lobato e se deparou com termos anacronicamente racistas ? Em Reinações de Narizinho, livro de 1931, Monteiro Lobato, num determinado trecho, refere-se a Tia Nastácia, cozinheira do sítio, como negra de estimação. O que dá a entender que ela é um animal de estimação. No mesmo livro podemos ler termos como macaca carvão e carne preta. Os livros do autor passaram a ser de domínio público no início desde ano. Veremos qual a postura das editoras que os publicarão em suas adaptações de trechos e títulos. Tenho certeza que a obra do autor não perderá sua qualidade, se editada.

O Brasileiro tem mania de embranquecer suas personalidades negras, isso aconteceu com Machado de Assis e Gonçalves Dias. A sensação que tenho é que apesar de a abolição da escravidão ter dado liberdade aos negros, ainda estamos acorrentados a uma sociedade onde tenta de todas as formas calar a voz do negro.



É necessário que haja uma mudança no cenário literário nacional. Mais da metade dos livros publicados no Brasil ainda são escritos por brancos. O Brasileiro se orgulha tanto de ser um país miscigenado, mas quando vamos procurar esta miscigenação nas prateleiras das livrarias, não a encontramos. São poucos os livros nacionais que nos trazem negros como protagonistas, que fogem à regra do negro pobre, escravizado, bêbado ou hipersexualizado.


Em meus livros, a maioria de meus personagens ou é negro ou pardo, pois eu me vejo representada ali. Sinto que estarei me traindo se criar um protagonista branco com olhos azuis, que mora no Sul, pois esta não é a minha realidade. No Wattpad vejo muitas autoras adolescentes negras escrevendo livros com elenco 100% branco. Fico triste com isso pois uma parcela delas ainda não veem a cor da sua pele com amor. Acham que só serão lidas se os personagens de seus livros forem brancos.

Autores negros, não tenham medo de mostrar as suas raízes. Deem destaque ao negros em suas obras. Criem reis e rainhas. Viajem para a África em seus escritos e mostrem ao mundo a beleza que é este continente. Mostrem às crianças negras do Brasil que elas não precisam se sentir inferiores pela cor da sua pele, criem super heróis para estas crianças. Vá além do negro pobre e serviçal, escreva sobre um negro astronauta, um negro escritor, um negro que vive num mundo onde a cor da pele não tem importância, mas sim o caráter.


31 visualizações4 comentários

Posts recentes

Ver tudo